Periquitos, Calopsitas & Cia

Aos 455 anos, São Paulo é lar para mais de 280 espécies de aves

25-01-2009 08:42

Carlos Augusto Gomes

SÃO PAULO - É final de tarde no Vale do Anhangabaú, localizado na região central de São Paulo. O cenário reúne dezenas de edifícios e algumas poucas árvores. De repente, ouve-se uma pequena algazarra. O barulho é obra de um grupo de periquitos, que voa para um dos altos postes de iluminação do vale. Periquitos em pleno centro paulistano? Isso mesmo. Pouca gente percebe, mas a maior cidade do país é casa para mais de 280 espécies de aves.

O número reune pássaros que vivem em parques localizados dentro do município de São Paulo, mas já fora da área urbana, como a Serra da Cantateira (extremo norte) e Murucututu (extremo sul). "Mas, em média, é possível encontrar de 30 a 40 espécies de aves nas áreas mais densamente construídas da cidade", explica Guto Carvalho, coordenador da Avistar (Encontro Brasileiro de Observação de Aves).

Só de periquitos, há pelo menos quatro espécies que vivem na área urbana - o mesmo número de variedades de beija-flores. A fauna não para por aí: sabiás, pardais, tico-ticos, sanhaços e até aves de rapina são comuns na cidade. "Há muitos carcarás, por exemplo, inclusive no centro. Eles se alimentam de filhotes de pombos", conta Guto Carvalho. "Corujas também são comuns. Mas, como têm hábitos noturnos, é mais difícil vê-las".

Segundo o coordenador da Avistar, o Parque do Ibirapuera, na Zona Sul, é um dos locais da cidade com maior variedade de espécies. "Algo em torno de 170", calcula. No Parque Ecológico do Tietê, na Zona Leste, o número fica em torno de 140 e na Cidade Universitária, na Zona Oeste, em 130. Outros locais da cidade que reunem uma boa quantidade de pássaros são o Parque Villa Lobos, também na Zona Oeste, e o Parque da Luz, no Centro.

Carlos Augusto Gomes
Para observar toda essa variedade, o mais importante é ter disposição para acordar cedo. "As aves são mais ativas no nascer do dia. Quando o sol começa a esquentar, eles vão desaparecendo", explica. Observar aves é uma atividade a que se dedicam entre 10 e 12 mil pessoas no Brasil, segundo estimativas de Carvalho. "Destes, de 20% a 30% são de São Paulo", calcula.

Em maio, a cidade sedia a quarta edição do Encontro Brasileiro de Observação de Aves, no Parque Villa Lobos. No encontro, serão expostas as imagens vencedoras do concurso Avistar Itaú-BBA de fotografias de aves brasileiras. O evento é aberto a profissionais e amadores e distribui mais de R$ 60 mil em prêmios. As inscrições vão até o dia 02 de março.

Quem não tem um parque na vizinhança pode observar aves atraindo-as para perto de casa. "Água com açúcar atrai beija-flores e sanhaços. Já frutas como mamão e banana agradam a periquitos e sabiás. Periquitos também gostam de grãos, assim como tico-ticos e pardais. Em todos esses casos, é bom manter os gatos distantes", ensina Guto Carvalho. As dicas também valem para quem mora em apartamentos. "As aves podem chegar acima do 10º andar", completa.

Procurar no site

Questionário

Qual seu animal preferido?

Periquito (161)
47%

Calopsita (156)
45%

Agapornis (29)
8%

Número de votos 346

Um ninho de periquitos com cinco periquitinhos: que os despiriquitar, bom desperiquitador será.