Periquitos, Calopsitas & Cia

Calopsitas

Na natureza reproduz-se nas épocas das chuvas, quando os alimentos são mais abundantes. Faz seu ninho em buracos já existentes no tronco das árvores, geralmente em eucaliptos próximos à água. Em cativeiro, a reprodução ocorre o ano todo.

A Calopsita reproduz tanto se estiver em viveiro coletivo como se estiver apenas um casal no ambiente. Esta última opção é a mais simples e portanto a mais recomendada. As calopsitas são aves monogâmicas e estão aptas à reprodução a partir de um ano de idade. A Calopsita está apta a reproduzir o ano todo, mas a criação tem maior chance de sucesso nos meses de primavera e verão.

Podem reproduzir durante o ano todo, mas aconselha-se tirar apenas 2 a 3 ninhadas por ano, pois é um processo muito estressante para elas. Para cessar a reprodução, basta retirar o ninho.

Instale na tela da gaiola ou do viveiro um ninho de madeira tipo caixa, medindo cerca de 35 cm de comprimento, 20 cm de largura, 20 cm de altura, com entrada redonda na frente, e com uma ante-sala dentro do ninho (não há necessidade de oferecer material para forração).

O macho se exibe para a fêmea, levantando a abaixando a crista, cantando e abrindo as asas. Então ele entra no ninho e a fêmea o segue. Durante cinco ou dez minutos, o macho esfrega a cloaca na da fêmea, que emite um som contínuo e baixo. Durante vários dias, o episódio pode repetir.

A postura costuma se iniciar de uma a duas semanas após a união do casal.

Os ovos medem de 2 a 3 cm, e a postura é de 4 a 7 por vez, com intervalos de cerca de dois dias. A incubação leva de 17 a 22 dias.

Os pais revezam-se na incubação e cuidado dos filhotes. Após o nascimento fornecer diariamente milho verde, pão molhado e osso de siba. Os filhotes são ocultados pelos pais por 10 dias e após 3 semanas começam a explorar a gaiola.

Separar os filhotes dos pais com 8 semanas de vida, quando começarem a comer sozinhos.

 

Fonte: avedoméstica.com

 

PERIQUITOS:

 

A reprodução dos periquitos é fácil mas se não souber fazer direito, se tornará impossível. Você deverá colocar os ninhos ao alto da gaiola e as pedras de cálcio nos lados do viveiro. Se o casal já estiver formado( ou pelo menos a um tempo juntos) será mais rápido, agora se eles estão a pouco tempo juntos, irá demorar um pouco mais. É fácil perceber quando os periquitos já estão começando a '' namorar '' pois eles visitam o ninho a toda hora para deixa - lo mais confortável para os filhotes. Quando a fêmea por os ovos, os dois( o macho e a fêmea se revezarão dentro do ninho para manter os ovos aquecidos e cuidar deles. Aí é só esperar alguns dias e os filhotes nascerão.

    Estes animais ficam aptos com 5 meses de idade, porém seus órgãos reprodutivos e seu esqueleto só estarão completamente formados com 8 ou 9 meses, sendo então a idade ideal para o acasalamento.

   A fêmea tem a carúncula, que é a parte de cima do bico, marrom achocolatado enquanto o macho possui esta azul, se for um periquito escuro (verde, azul ou cinza) ou rosa se for um periquito claro (branco, amarelo ou creme), compare o marrom com o rosa estes são bem diferentes, mas confunde muitas pessoas por acharem que todos os machos tem a carúncula azul. Para evitar problemas compre uma fêmea de coloração clara e o macho escuro.

    Ninguém gosta de ser forçado a namorar, portanto é normal que ocorram algumas brigas no começo, mas, se estas brigas se estenderem por três ou mais dias ou se forem sérias a ponto de arrancar penas, retire o agressor e compre outro. Sempre coloque a fêmea mais nova que o macho, pois geralmente é a fêmea que bate por achar que o companheiro é um intruso e não um parceiro. Você saberá que eles se aceitaram quando o macho começar a alimentar a fêmea, e ambos entrarem no ninho.

    Após uns vinte dias do começo do namoro virão os primeiros ovos, pode demorar mais vai depender da idade do macho, principalmente. Aqui vai a cronologia da reprodução: 

    A fêmea põe um ovo a cada dois dias, geralmente chegar a 8, mas pode ser 3 ou 11, neste caso retire o excesso, passando para outra fêmea com menos ou, infelizmente, quebrando os colocados por último até deixar uns 8;

    O ovo eclode com 18 dias exatos;

    Com 35 dias, os filhotes saem do ninho;

    Com 60 dias da primeira postura ela recomeça.

    Eles podem viver 12 anos, mas se você cuidar direitinho eles chegam á 15. 

 

Fonte:www.petshopnet.com.br

AGAPORNIS:

    Quando estão preparados para criar, à que fornecer uma dieta variada, será necessário uma fonte cálcio fresca e limpa, uma boa fonte de proteínas e ao mesmo tempo em dias alternados a quantidade suficiente de vitaminas A, D e E na sua dieta. A maioria dos loros não se afastam demasiadamente dos seus ninhos.

    O mesmo sucede com os agapornis. Podem nidificar sobre o solo de uma simples caixa de madeira, no entanto, deverá oferecer material para que possam construir o seu próprio ninho dentro da caixa: ramas de Pinheiro, folhas de Palmeira, tufa e mesmo aparas de pinheiro verde.  

    Normalmente o macho não se dedica a arranjar material para construir o ninho, a fêmea tem o papel principal na sua elaboração. A fêmea do Roseicollis transporta o material para o ninho entre as penas das suas asas. a fêmea dos Fischeri transporta o material no bico e constroem um ninho muito mais elaborado, uma notável obra de arte.

    Uma fêmea colocará uma postura entre os três e os cinco ovos, podendo chegar aos seis. Para controlar os nascimentos, costumo contar cerca de vinte e dois dias a vinte e cinco dias a partir da postura do segundo ovo para o nascimento do primeiro filhote. Comummente, será a data aproximada para o seu  nascimento. Aconselho a que os pássaros se habituem a que inspeccionamos os ninhos, porém é necessário um certo cuidado já que poderemos por tudo a perder.

    As fêmeas novas, podem não conseguir chocar convenientemente os primeiros ovos, nomeadamente por falte de experiência, porém, com alguma paciência da nossa parte, podemos constatar que na segunda postura conseguem tirar filhotes. É necessário observarmos as nossas aves nesta altura porque com o frio podem ter problemas na postura e o ovo ficar preso na cloaca, podendo vir a ser fatal para a ave. Quando isto acontece, podemos auxiliar a fêmea utilizando água morna e ajudando com os dedos a expelir o ovo.   Quando saem do ninho ainda vão  aprender a comer sozinhos e desenvolverem os instintos de defesa para com os outros pássaros.  Se criar em colónia tenha atenção aos filhotes, pois estes apesar de serem defendidos pelos pais em particular pelo macho, estão sujeitos a serem atacados pelos outros membros da colónia.

    No caso de anilhar as suas aves deverá fazê-lo por volta dos sete aos dez dias, de forma a que a anilha ainda possa passar na pata e não possa cair no ninho sem que nos possamos perceber.

    Eu pessoalmente (na criação em gaiolas individuais) só separo os filhotes quando a fêmea está no fim do próximo choco ou quando começam a nascer os filhotes. Raramente acontece os pais atacarem os filhotes quando estes abandonam o ninho, mas caso isto aconteça a única solução é mesmo a separação dos filhotes dos pais.

Fonte:www.geocities.com

Procurar no site

Questionário

Qual seu animal preferido?

Periquito (161)
47%

Calopsita (156)
45%

Agapornis (29)
8%

Número de votos 346

Um ninho de periquitos com cinco periquitinhos: que os despiriquitar, bom desperiquitador será.